Imprimir
Acessos: 565

LUTA ÍNTIMA

           

À semelhança do Cristianismo, que floresceu sobre as ruínas da decadência pagã, é certo que Jesus te surge no caminho, quando tuas ilusões já se encontram em agonia.

            Desejando o sucesso no mundo, construíste teus ideais na esteira do amor-próprio.

            Conquistaste bens materiais.

            Cultivaste o egoísmo.

            Alimentaste a vaidade.

            Sucumbiste ao orgulho.

            Acumulaste autoridade.

            Buscaste o prestígio.

            Alcançaste o poder.

            Entretanto, após longa convivência com fantasias e devaneios, descobriste que os sonhos de triunfo e reconhecimento foram-se transformando, pouco a pouco, em pesadelos insuportáveis.

            A fortuna não te enxugou o pranto da alma.

            O egoísmo te fez insensível ao sofrimento alheio.

            A vaidade te tornou antipático entre os companheiros.

            O orgulho te afastou dos amigos.

            A autoridade te obrigou a atitudes inesperadas.

            O prestígio te roubou o sossego íntimo.

            O poder te premiou com a solidão.

            Embora sob a claridade dos holofotes que te exaltam as vitórias sucessivas, sentes nos lábios o gosto amargo da desilusão. Tens a vida repleta de glórias, mas dentro do peito o coração vagueia na escuridão aterradora e vazia.

            É nesse momento que, nos horizontes enevoados de tua alma, desponta o sol radioso do Evangelho e Jesus te estende as mãos, suaves e firmes, convidando-te às veredas do bem.

            Contudo, apesar do sofrimento que te consome, tens dúvida e dolorosa luta se instala em teu íntimo. Não é fácil sair da avenida larga das facilidades, para entrar na trilha apertada da transformação moral, trocar a paixão possessiva pelo amor que renuncia, substituir a arrogância pela humildade.

            Todavia, o Mestre Divino acredita em ti. Ampara-te o esforço. Sustenta-te a coragem. Inspira-te a esperança. E, com indescritível ternura, fortalece-te a fé vacilante, falando a teus ouvidos espirituais:

            - Confia em mim; eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.

 

Fonte: livro “Vivendo o Evangelho – vol. II – André Luiz